Efeito do número de filhos na satisfaçaõ conjugal e na vinculação pré-natal materna e paterna

Repositorio Dspace/Manakin

español português english

Efeito do número de filhos na satisfaçaõ conjugal e na vinculação pré-natal materna e paterna

Mostrar el registro completo del ítem

Título: Efeito do número de filhos na satisfaçaõ conjugal e na vinculação pré-natal materna e paterna
Autor: Camarneiro, Ana Paula Forte; Justo, João Manuel Rosado de Miranda
Resumen: Introducción: La satisfacción marital de la pareja disminuye durante el embarazo (Belesky, Lang y Rovine, 1985; Parke, 1996), lo que está estrechamente relacionado con el número de hijos. Representa un factor importante en la unión prenatal de cada progenitor hacia el feto (White, Wilson, Ellander, Persson y 1999). Método: Los objetivos de este estudio son comparar la satisfacción marital y el apego prenatal materno / paterno durante el embarazo de acuerdo con el número de hijos. La muestra incluyó a 407 mujeres y sus parejas / esposos. Se pidió a los sujetos que respondieran a un cuestionario sociodemográfico, la MPAAS (Condon, 1993; adaptación por Camarneiro y Justo, 2010) y el EASAVIC (Narciso y Ribeiro, 2009). Un estudio transversal descriptivo y correlacional se llevó a cabo con aplicación de ambos análisis univariados y multivariados, controlando por edad y educación. Resultados: La satisfacción marital es significativamente mayor en los hombres y las mujeres que no tienen hijos. El apego maternal al feto, tanto total como medido, y la calidad del apego paterno no están influenciados por el número de hijos. El apego prenatal paterno total y la intensidad de la preocupación paterna es significativamente mayor en los hombres que no tienen hijos. Discusión / Conclusión: La satisfacción marital de los hombres y las mujeres es más alta durante el primer embarazo. El apego prenatal materno (tanto total como medido) no está influenciado por la paridad. En padres primerizos, el apego prenatal total al feto y la intensidad de la preocupación es mayor. Sin embargo, la calidad de la unión no se ve afectada por el número de hijos.Introduction: The couple’s marital satisfaction declines during pregnancy (Belesky, Lang & Rovine, 1985; Parke, 1996), which is closely related to the number of children. It represents an important factor in the prenatal attachment of each parent to the fetus (White, Wilson, Ellander, Persson & 1999). Method: The aims of this study are to compare the marital satisfaction and maternal/paternal prenatal attachment during pregnancy according to the number of children. The sample included 407 women and their partners / husbands. The subjects were asked to answer a socio-demographic questionnaire, the MPAAS (Condon, 1993; adaptation by Camarneiro & Justo, 2010) and the EASAVIC (Narciso & Ribeiro, 2009). A descriptive and correlational cross-sectional study was conducted with application of both univariate and multivariate analyzes, controlling for age and education. Results: Marital satisfaction is significantly higher in both men and women who do not have children. Maternal attachment to the fetus, both total and in the dimensions, and the quality of the paternal attachment are not influenced by the number of children. The total paternal prenatal attachment and the intensity of paternal preoccupation are significantly higher in men who do not have children. Discussion/Conclusion: The marital satisfaction of both men and women is higher during the first pregnancy. Maternal prenatal attachment (both total and in the dimensions) is not influenced by parity. In first-time fathers, the total prenatal attachment to the fetus and the intensity of preoccupation is higher. However, the quality of attachment is not affected by the number of children.Introdução: A satisfação conjugal de homens e de mulheres declina durante a gravidez (Belesky, Lang & Rovine, 1985; Parke, 1996) estando em estreita relação com o número de filhos e constituindo um factor importante na vinculação pré-natal de cada progenitor ao feto (White, Wilson, Ellander, & Persson, 1999). Método: O objectivo deste estudo é comparar a satisfação conjugal e a vinculação pré-natal das mulheres e dos homens durante a gravidez de acordo com o número de filhos. A amostra é constituída por 407 mulheres e homens, seus companheiros/maridos que responderam a um questionário sócio-demográfico, à EVPNMP (Condon, 1993; adaptação de Camarneiro & Justo, 2010) e à EASAVIC (Narciso & Ribeiro, 2009). Realizou-se um estudo transversal descritivo-correlacional com aplicação de estatística uni e multivariada controlo da idade e escolaridade. Resultados: A satisfação conjugal é significativamente mais elevada nos homens e nas mulheres que ainda não têm filhos. A vinculação materna ao feto, total e dimensões, e a dimensão qualidade da vinculação paterna não são influenciadas pelo número de filhos. A vinculação pré-natal total e a dimensão intensidade da preocupação paternas são significativamente mais elevadas nos homens que não têm filhos. Discussão/conclusões: A satisfação conjugal de homens e mulheres é superior na primeira gravidez. A vinculação pré-natal materna, total e dimensões, não é influenciada pela paridade. Nos homens que vivem a sua primeira experiência de paternidade, a vinculação pré-natal total ao feto e a intensidade da preocupação é superior. Contudo, a qualidade da vinculação não é afectada pelo número de filhos.
URI: http://hdl.handle.net/10662/2506
Fecha: 2012


Ficheros en el ítem

Ficheros Tamaño Formato Ver
0214-9877_2012_1_1_19.pdf 454.7Kb PDF Thumbnail

El ítem tiene asociados los siguientes ficheros de licencia:

Este ítem aparece en la(s) siguiente(s) colección(ones)

Mostrar el registro completo del ítem

Atribución-NoComercial-SinDerivadas 3.0 España Excepto si se señala otra cosa, la licencia del ítem se describe como Atribución-NoComercial-SinDerivadas 3.0 España

Buscar en Mi Dehesa


Listar

Mi cuenta

Estadísticas

Ayuda

Redes sociales